Doenças transmitidas pelo Aedes diminuíram em comparação à 2016, mas é preciso continuar em alerta

Rafa Barbosa

O aumento de casos de Febre Amarela na região deixa a população em estado de alerta. Mais três mortes pela doença foram confirmadas nesta terça-feira, 9 de janeiro, no interior de São Paulo. Foram dois casos em Atibaia e outro em Jarinu. Embora em um comparativo entre os anos de 2016 e 2017 a cidade de Bragança tenha diminuído os registros de doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, é importante evitar sua proliferação e se vacinar, como forma de prevenção.

Os casos de Dengue registrados em 2016 foram de 584 notificados, sendo 235 confirmados. Já em 2017 foram notificados 143 casos, sendo apenas 1 (importado) confirmado. No período analisado, não houve registro de casos confirmados de infecção pelo Zika Vírus. Também não teve casos de Febre do Chikungunya, embora tenha tinha três casos confirmados importados em 2016.

Em 2017, houve notificação de apenas 3 casos de Febre Amarela e nenhum caso confirmado, sendo um pendente, aguardando exames laboratoriais com o resultado definitivo. Foram encontrados 85 macacos mortos. Deste total, 63 animais deram positivos, 14 negativos, 2 inadequados e 7 faltam resultados das análises. ?Em 2017 foram vacinadas 84.600? pessoas. ?

As vacinações contra a Febre Amarela continuam sendo realizadas na cidade ?em todas as salas de vacina das unidades de saúde. Basta levar cartão do SUS, RG e CPF. Para intensificar a vacinação, os profissionais de saúde do município estão também em pontos estratégicos da cidade, a fim de orientar e aplicar a dose da vacina contra a febre amarela. Todas as quartas-feiras estão na feira livre e nesta quinta-feira, 11, na Praça Belo, do bairro do Cruzeiro, imunizando a população.

Neste sábado, 13 de janeiro, os pontos de vacinação estarão nos seguintes locais: Mercado Municipal Waldemar de Toledo Funck, Rodoviária Velha, Feira do Lago do Taboão e no Bairro da Marina, das 8h às 16h.

Para evitar a proliferação do mosquito, evite deixar água parada em qualquer recipiente como caixas d'água, latas e pneus. Outras medidas preventivas são o uso de repelente de insetos e mosquiteiros.