Mais incidentes no verão, escorpiões podem ser contidos com um ambiente bem saneado

Rafa Barbosa

O escorpião é um animal peçonhento que usa o ferrão para picar a vítima e introduzir seu veneno. Com grande incidência em períodos quentes, por saírem de seus esconderijos em busca de abrigo e lugar seco, os escorpiões acabam por se adaptar bem ao ambiente urbano, porém, trazem perigo à população. Evitar o acúmulo de resíduos, mantendo o ambiente bem saneado é uma forma de prevenção de seu aparecimento.

Foram registrados em Bragança Paulista, pelo Sistema de Informação de Agravos de Notificação – Sinan, de 2013 a 2017, 387 casos de picadas de escorpiões, sendo a maior ocorrência em 2016, com 93 notificações. Os bairros com maior incidência dos aracnídeos são o Centro, Vila Aparecida, Santa Luzia e Residencial dos Lagos. As espécies encontradas na região são o Escorpião Amarelo (tityus serrulatus) e Escorpião Marrom ou Preto (tityus bahiensis).

Ao longo de 2017, agentes de saúde do município realizaram mais de 10 mil visitas em 26 bairros, dentre eles as Planejadas 1 e 2, Parque Brasil, Parque dos Estados, Vila Mota, Vista Alegre, Jardim São Miguel, entre outros. Até o momento, neste ano, foram realizadas 1304 visitas em 10 bairros da cidade.

Virginia Bueno, professora da Fesb, mestre em ciências e especialista em zoologia e saúde pública, explica como o escorpião se procria e o homem entra em contato com ele. “Eles fazem ninhos em locais escuros, embaixo de madeira, nos muros, onde tem entulho acumulado e o homem inadvertidamente coloca a mão e acaba sendo picado”, conta.

Após a picada, a recomendação é procurar um posto de saúde mais próximo. “O importante em todos os casos é que a pessoa vá ao posto de saúde e procure ajuda médica. Pede-se para que as pessoas não façam nenhuma terapia milagrosa, como passar alguma substância, porque o veneno, a peçonha, já está dentro do corpo e é aí que ela vai agir”, reforça.

Virgínia faz alguns alertas de prevenção ao aparecimento de animais peçonhentos, que também compreendem as aranhas, por exemplo. “Vai desde você não acumular o lixo doméstico; quando for aparar a grama ter certos cuidados, como usar luva, nunca ir descalço e recolher esse lixo”, orienta.

Outros cuidados pertinentes compreendem a examinar roupas (inclusive as de cama), calçados, toalhas de banho e de rosto, pano de chão e tapetes antes de usar; manter os berços e camas afastados, no mínimo 10 cm, das paredes e evitar que mosquiteiros e roupas de cama esbarram no chão; tomar cuidado especial ao encostar-se em locais escuros e úmidos e com presença de baratas, alimento dos escorpiões.

Manter o ambiente saneado é muito importante, como acondicionar o lixo doméstico de forma correta; não jogar lixo em terrenos baldios; evitar a formação de ambientes favoráveis ao abrigo de escorpiões; manter fossas, soleiras de portas, ralos, pontos de energia devidamente vedados; rebocar paredes e muros para evitar frestas.

Caso encontre algum escorpião, o Ministério da Saúde orienta que se possível, o animal seja capturado e levado ao serviço de saúde, acionando a Divisão de Vigilância Epidemiológica, responsável pela fiscalização. Os telefones da Divisão de Vigilância Epidemiológica são (11) 4035-4191/ 4035-1595/4034-4144.