Projeto que fixa pagamento de OPV à servidores será apreciado em extraordinária na próxima terça



A mesa diretora da Casa anunciou a entrada do Projeto de Lei Complementar nº21, que dispões novas regras com relação a esse pagamento e convocou duas sessões extraordinárias, para a próxima terça-feira, 12 de dezembro, às 16h.

Os servidores presentes solicitaram que as sessões extraordinárias fossem realizadas mais tarde e não às 16h, como anunciado pela presidente, para que eles pudessem participar, já que a grande maioria trabalha até às 18h, mas não foram ouvidos. Carlos Alberto Martins de Oliveira, presidente do Sindicato dos Servidores Municipais Bragança Paulista, Sismub, reforçou que os servidores não estão satisfeitos com a maneira como a matéria tem sido abordada na Casa. “É um regime ditatorial no Executivo e aqui no Legislativo também. É uma extensão do governo atual”, diz.

Oliveira também fala a respeito do Projeto de Lei Complementar nº 21, que será discutido nas sessões extraordinárias. “Na verdade eles só estão dando uma refrescada, mas ainda continua uma situação ruim para os servidores”, afirma.

Com o Projeto de Lei nº 52 retirado, as demais cinco matérias foram apreciadas e aprovadas por unanimidade. Houveram dois inscritos na Tribuna Livre: Tânia Clemente, para falar sobre o Dia Mundial da Luta contra a Aids e Teresa Otondo, para falar sobre a Ave Símbolo de Bragança. Ao todo dez vereadores fizeram uso da palavra para tratar de assuntos como barragens, zeladoria e saúde e a sessão durou cerca de 3 horas.