Sismub repudia reajuste salarial anunciado pelo prefeito

Na tarde de ontem, o prefeito de Bragança Paulista, Jesus Chedid, assinou seu Termo de Posse e voltou ao comando da cidade, após ficar afastado por 15 dias para tratar da saúde, por recomendações médicas. Em evento no Paço Municipal, o prefeito anunciou e enviou para aprovação da Câmara, um reajuste no salário e no vale-alimentação dos servidores municipais. “O que foi feito é o começo de uma administração muito difícil, mas nos sentimos felizes hoje de poder conceder ao funcionalismo 4,5 % de aumento, que significa 11% a mais do que a inflação”, declara.

Sobretudo, o Sismub, Sindicato dos Servidores Municipais de Bragança Paulista, repudia a atitude da administração, uma vez que, em assembleia, o ofício encaminhado foi lido e rejeitado, por não atender todas as necessidades da classe. Carlos Alberto Martins de Oliveira, presidente reeleito do sindicato, afirma que a campanha salarial não terminou. “É a assembleia quem decide quando começa e termina uma campanha, não é uma administração que determina, simplesmente mandando um projeto para a Câmara, sem apreciação da assembleia”.

“A gente espera que ele (prefeito) converse com o sindicato e com a comissão (eleita pelo executivo) e reveja tudo isso, porque foram 18 itens aprovados na construção da pauta de reivindicação e ele não respondeu um, apenas comunicou o que está fazendo”, finaliza o presidente. A próxima assembleia do sindicato será em 8 de junho, próxima quinta-feira, e todos os servidores já foram convocados.

Ainda durante a solenidade, Jesus Chedid falou à Nova Norte FM a respeito de sua condenação, pelo Tribunal de Justiça, devido a reforma e manutenção no Clube Atlético Bragantino. “Mais um que nós vamos recorrer e ganhar em Brasília”, afirma o prefeito.