Vereador propõe Cartão Escolar ao executivo

Rafa Barbosa

Nesta terça-feira, 5 de setembro, ocorreu a 31ª Sessão Ordinária da Câmara Municipal. Na ordem do dia, constavam poucas matérias, todas aprovadas por unanimidade. Uma das manifestações na Tribuna Livre foi a de um representante dos papeleiros, para propor a implementação do ‘Cartão Escolar’.

Uma das moções em pauta, de autoria da Fabiana Alessandri foi adiada, devido a sua solicitação e ausência na sessão. As demais, outras duas, uma que dize respeito à implantação da Caravana Cidadã e o outra sobre o Programa “Empresa Educadora” foram aprovadas por unanimidade. O Projeto de Lei, também aprovado por todos os presentes, diz respeito a alteração da Lei que dispõe sobre a qualificação de Entidades como Organizações Sociais no município.

Um dos inscritos para falar na Tribuna Livre foi o comerciante Rodney Guazzelli que tratou sobre os benefícios da implantação do ‘Cartão Escolar’. “Está constatada a demora no fornecimento do material para essas crianças e como outras cidades como Sorocaba e São Sebastião já vêm adotando esse cartão, pedimos que a prefeitura disponibilize aqui também aos pais, dos alunos das escolas municipais, para adquirirem os materiais direto nas papelarias”, solicita.

Quem o apresentou foi Basilio Zecchini Filho, do PSB. A proposta tem por objetivo além de estimular o comércio, dar assistência às crianças da rede municipal, evitando problemas na distribuição dos materiais. “É uma proposta muito interessante. Nos últimos anos muitas papelarias foram fechadas e muitas pessoas demitidas. Com esse valor movimentando aqui na cidade, esse dinheiro deve gerar a contratação de mais funcionários, pelo menos nessa época do ano”.

O vereador também informou duas modalidades possíveis para a implementação pelo executivo. “Uma das possibilidades é um convênio direto entre a prefeitura e a Associação Comercial, que faria esse papel de intermediar as papelarias e existe outra modalidade que é por licitação, para uma empresa operar esse cartão, como se faz com o cartão alimentação”, explica.

Basílio informou que a matéria deu entrada na Câmara durante esta sessão como uma Moção. Agora ela deve tramitar nas comissões para então ser votada em plenário.